sábado, 22 de março de 2014

Até quando, SENHOR?

Até quando, Senhor? Até quando, Senhor? 
Este tem sido a pergunta que não quer calar em seu coração? 
Parece que não há resposta para o clamor da sua alma?

Houve também um homem de DEUS que clamou inúmeras vezes desta forma e que também pensou que não estava sendo ouvido, este homem era o Profeta Habacuque contemporâneo do profeta Jeremias, naquela época a situação do povo de DEUS era muito difícil, o coração do povo estava cada vez mais endurecido e distante do SENHOR, e o pecado se proliferava cada vez mais, levando a nação a se corromper.

No nesse contexto histórico que ouvimos Habacuque clamar ao SENHOR!

Até quando, SENHOR, clamarei eu, e tu não me escutarás? Gritar-te-ei: Violência! e não salvarás?
Habacuque 1:2

Habacuque clamava por causa da injustiça, opressão, destruição, violência, esse era o cenário que ele contemplava e parecia que DEUS não o ouvia e não estava se importando com ele e com o seu povo e quantas vezes diante das circunstâncias clamamos: 

Até quando, SENHOR??? 
E só parece que DEUS não está nos escutando, só parece porque a palavra de DEUS nos diz:
Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir. Isaías 59:1”

Podemos não entender algumas coisas nos momentos de dores e incertezas, mas uma coisa jamais poderemos nos esquecer:

(...) mas o justo pela sua fé viverá.
Habacuque 2:4

A nossa fé será a base que nos sustentará nestes momentos, ela nos levará a tocar o inatingível!
Em todas as situações que fogem ao entendimento humano,  CREIA QUE O PAI ESTÁ NO CONTROLE , cuidando dos mínimos detalhes.

A resposta veio para Habacuque no capitulo 2:2,3 mais não foi aquela que ele queria ouvir!

DEUS disse que levantaria os Caldeus para ser um instrumento para colocar o seu povo no eixo, mas repito Deus é justo, e até mesmo os Caldeus passariam pelo julgamento de DEUS mais tarde (Habacuque 2: 6 ao 19).

Muitas vezes a resposta também que vem para nós não é aquela que gostaríamos de ouvir.

Será que a resposta que nós queremos não à recebemos porque não tivemos uma atitude que DEUS espera?

Até que ponto somos sábios para perdoar?
Até que ponto estamos dispostos a perder para depois ganhar?
Se alguém lhe pedisse a túnica, você ofereceria a capa também?
Se alguém lhe pedisse para caminhar uma milha, caminharia duas?
Se a semente lançada na terra não morrer como produzirá fruto?

Começamos essa meditação vendo Habacuque clamando.
Chegamos ao final do capitulo 02 do livro com o profeta ouvindo a resposta do Senhor.
Agora no capitulo 03 se encerra com o profeta adorando ao Senhor:

Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado;
Todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação.
O SENHOR Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas. 
Habacuque 3:17-19

O figo, fruto da figueira era usado para produção de uma pasta que curava feridas,  diante deste cenário era como Habacuque dissesse: “Ainda que não haja cura para as feridas do meu coração e para enfermidades do meu corpo eu decido me Alegrar!”

A uva, fruto da Vide, ela representa Alegria. Ainda que faltasse motivos para Habacuque se alegrar, ele decidiu exaltar!

Azeitona, fruto da Oliveira de onde se produz o azeite, símbolo da unção e da constituição de Deus,  ainda que Habacuque fosse desacreditado a sua escolha continuaria a mesma, se alegria diante da injustiça!

Os campos não produzam, as ovelhas da malhada sejam arrebatadas e nos currais não haja gado. Ele sabia que mesmo diante das dificuldades financeiras que ele e sua família enfrentariam no tempo do exílio, a sua escolha era voar acima das suas próprias limitações!

Alegria é fruto de um coração adorador! 
HABACUQUE ESCOLHEU SE ALEGRAR SEMPRE!

Porque o motivo da sua alegria não vinha das circunstâncias da vida, mas do dono de toda a vida – DEUS!







Nenhum comentário:

Postar um comentário